terça-feira, 14 de outubro de 2008

eternidades da semana >> 6 a 12/10/08

MONOBLOCO - Ao Vivo
(2005)

O Monobloco é uma banda que confirma uma antiga suspeita minha, de que seria possível fazer uma coisa legal e não burocrática com bateria de escola de samba. Eu já conhecia o DVD há algum tempo, mas só agora fui escutar o disco. A banda é uma união de figuraças: Pedro Luís (& a Parede), Sérgio Loroza (o Figueirinha de A Diarista), Rodrigo Maranhão (Bangalafumenga) e outros. Esta é a formação do disco, não sei como está atualmente.

Sobre o disco, é simplesmente excelente, o que é estranho para o meu gosto, já que é um álbum de covers e eu costumo não gostar destas coisas. Porém, a proposta é muito boa e bastante bem executada. É uma rara união de pop (no sentido de música para arrebatar multidóes) e qualidade. Loroza é uma figuraça, e entre os vocalistas (são 3) é quem se sai melhor. Covers inusitados como Taj Mahal (Jorge Ben), Imunização Racional (Tim Maia), Miséria S/A (O Rappa), Tropicana (Alceu Valença), tudo tocado com bateria de carnaval. Alguns dos arranjos são bastante ousados, fugindo completamente do óbvio que se poderia esperar de um grupo com um grande número de integrantes.

Além destas, coisas mais tradicionais para o estilo como Coisinha do Pai, Eu Quero é Botar Meu Bloco na Rua e Aquarela Brasileira. Ainda tem participação especial de Lenine (e também de Fernanda Abreu, mas não vejo relevância alguma nisto).

O ponto alto disco fica com os MCs Júnior e Leonardo cantando em um pout-pourri de 10 minutos com funks da dupla carioca. Seria de se esperar que o resultado ficasse no mínimo estranho, porém a mistura destes dois ritmos brasileiros é explosiva, sendo o melhor trampo de percussão do disco, chegando a lembrar, por vezes, os maracatus envenenados da Nação Zumbi. A parada é simplesmente viciante, já devo ter ouvido umas 300 vezes.

Enfim, quem é "rock'n'roll na veia" vai achar uma merda, mas estará perdendo um dos melhores blockbusters já feitos no Brasil.

Um comentário:

Vitor Pepicon disse...

Grande Rodrigo! Como você está? Você não tem a mínima noção do prazer que é contar pelo menos com estes canais de comunicação com você, para poder saber um pouco das idéias que rondam esse cérebro privilegiado.

Um grande abraço!!!