quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Os Engenheiros do Hawaii estão mortos! Longa vida então?

Quem conhece os Engenheiros do Hawaii e lê este blog, mesmo que não me conheça, sabe que sou fã da banda. Do nome do blog ao título de uma das seções, pipocam citações à obra dos Engenheiros. Apesar de lançar discos com regularidade desde 1985, considero a banda morta em 1994, com a saída do guitarrista Augusto Licks. Após uma reanimação em 1995, com Simples de Coração, a banda morreu de vez com a saída do baterista Carlos Maltz. Os discos que vieram depois, alguns até bem legais, são qualquer coisa, menos Engenheiros do Hawaii.

Somente agora, no primeiro trabalho de Humberto Gessinger sem o nome Engenheiros do Hawaii em mais de 10 anos (o anterior havia sido um solo, lançado em 1996), o espírito da velha banda parece estar de volta com Pouca Vogal, trabalho da dupla Gessinger+Leindecker. Eu disse "parece" porque ainda não ouvi decentemente o disco, mas os sinais são excelentes: o release (o link não vai direto, clique em 'Release' por favor, maldito Flash!) do trabalho e a resenha escrita pelo companheiro de longos anos no "engenheirismo" Rodrigo Rosselini (onde, aliás, descobri a novidade).

Ansioso para ouvir decentemente o disco (ou seja, não ouvir enquanto faço outra coisa, como trabalhar, dirigir ou cochilar).

2 comentários:

Rodrigo Rosselini disse...

E aí?
Acamo de reler-meu-release. Um tanto ufanista. Espero não ter criado grandes expectativas. De repente, deveria ter falado mal... assim, se as pessoas gostarem, estarei no lucro. Rsrsrsrs.
Deixe suas impressões a respeito.
Abração.
Ah, valeu pela citação aí...

Rodrigo Manhães disse...

Gostei muito do disco, não achei exagero seu não. Só estou um pouco saturado de tanto violão.