quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

eternidades da semana >> falcão

FALCÃO - What Porra is This?
(2006)



Um disco do Falcão lançado em 2006? Eu achava que a carreira do sujeito havia terminado há tempo, mas descobri que ele grava mais ou menos regularmente e este já é o oitavo disco.

As piadas têm o mesmo estilo dos primeiros discos - os únicos outros que conheço, por sinal - mas o som está claramente mais (pop-)roqueiro. Que ninguém espere, claro, algo como AC/DC ou Rolling Stones: trata-se de Falcão, nao se esqueçam. Mas é um pop-rock bregoso que remete a Mamonas Assassinas, legal de se ouvir e combina com a retórica filosófica falconiana. (O início de A Sociedade Não Pode Viver Sem as Pessoas lembra muito Mundo Animal dos Mamonas.) Tem até um forrozinho lá pelo meio do disco mas destoa bastante do conjunto.

Um forte ponto positivo, especialmente por ser exatamente a que o disco se propõe: é engraçado, com as tradicionais tiradas entre a ironia e o nonsense do Falcão: "Se grito resolvesse porco não morria/(...)/Se ferradura desse sorte burro não puxava carroça", em Amanhã Será Tomorrow; "No Brasil nem tudo está perdido, muito ainda há de se perder", em Fome Zero-a-Zero; "E desejo talvez um dia por acaso levá-la ao meu quarto, tirar sua calcinha, arrancar o elástico e fazer um estilingue pra caçar rolinha", em Quem Não Tem Cão Não Caça; "De ser você uma criatura sonsa igualmente a João Gilberto cantando uma bossa nova" em Desculpe Ter-Lhe Visto e por aí vai. A letra de Doa a Quem Doar é bastante inteligente e bem sacada. Na baladinha de violão e percussão Ordem e Progresso, a melhor tirada do disco: "Se Satanás morasse em Brasília seria, com certeza, aprendiz/Se político sem vergonha fosse areia e fila-da-puta fosse pedra-de-mão/Dava pra fazer na Rio-Bahia uma nova pavimentação".

Enfim, é um disco divertido, e um som legal, se você não o levar a sério. Bom pra ouvir tomando cerveja.

Nenhum comentário: