terça-feira, 13 de julho de 2010

eu fui >> o maior espetáculo da terra (el efecto)


Ok, é um exagero, eu sei. Mas foi o nítido sentimento que tive ao fim do show do El Efecto, no dia 9 de julho, no Estúdio AudioRebel, em Botafogo, Rio de Janeiro/RJ. Pescoço e pernas doendo - de banguear e pular, respectivamente -, e aquela indefectível expressão de "Ca-ra-lho!", invariavelmente apresentada por quem acaba de assistir algo memorável.

O local, bem diferente da maioria dos locais de shows - mesmo considerando-se eventos underground - é um estúdio onde cabem mais ou menos umas 80 pessoas. O motivo, também especial: a banda comemora 8 anos de existência e aproveita a oportunidade para fazer um show sozinha - ou seja, nada de festival com zilhões de bandas e show de 40 minutos - e registrar a ocasião em vídeo. A produção, à altura da comemoração, com direito a violino, flauta transversa, percussão e [substitua aqui por um instrumento metálico de sopro que não sei o nome]. Além, claro dos tradicionais trompete e cavaquinho. Filmagem profissional, três câmeras e tudo aquilo que se precisa pra fazer uma coisa legal. A princípio, segundo a banda, não será feito um DVD: o objetivo é ter um material legal de vídeo para divulgação na Internet.

Eu já havia assistido a um show da banda, em 2005 na cidade de Macaé/RJ, mas era justamente um daqueles shows de 40 minutos em meio a outras 5 mil bandas no mesmo dia. Com a exígua área do estúdio superlotada, um pouco depois das 20 horas, o show começou com Montagem da Solidão, um funk. Não, não tem nada a ver com James Brown e cia. É funk carioca mesmo, miami bass, pancadão. No palco, quatro integrantes, duas guitarras, baixo, bateria. Formação clássica de banda de rock e o funk rolando, como se a banda já anunciasse ao público: "aqui se ouvirá simplesmente música, sem rótulos". Segue-se Seres, música lançada recentemente pela banda - na verdade uma releitura de Ricardinho, presente em uma demo -, com um belo trampo de metais e flauta tocadas por 2 convidados especiais. Seguem-se o sambinha-newmetal Necessidades Básicas, o groove de Conforme a Música, o caos de Tilt, O Último Tango e outras. Esta última, com direito a sampler de Nelson Gonçalves tocado pelo vocalista e guitarrista Danton de modo bastante inusitado: um radinho de pilha colado ao microfone. As atitudes da banda têm um quê de teatral, o que torna o show como um todo bastante interessante e, por vezes, surpreendente. Também assim foi o texto lido pelo vocalista e baterista Tomás sobre o suicídio de Santos Dumont como introdução à música de mesmo nome.

As letras da banda valem um comentário. Hoje, a música brasileira, apesar de passar por uma excelente fase, é predominantemente reflexiva e introspectiva. O El Efecto, contra a corrente, chuta esse balde e levanta uma bandeira, escolhendo claramente um lado. "Enquanto não houver justiça para todos, não haverá paz para ninguém", anuncia Danton, um dos vocalistas. As letras são, muitas vezes, ferroadas certeiras sobre a hipocrisia da classe média, vide 3 Pratos de Trigo para 30 Tigres Tristes ou Téo Vai às Compras (esta última, por sinal, a grande ausência do show). Contundentes, e muito, pero sin perder la poesia. Ainda assim, a seu próprio modo, a banda segue a tradição de antropofagia cultural e inconformismo da música brasileira.



Após um breve intervalo, a banda volta para a segunda parte do show, iniciando também com uma música recém-lançada: Ciranda, em uma belíssima execução, desta vez com outras duas participações especiais: violino e flauta transversa. Nesta segunda parte o destaque foi para a já citada 3 Pratos de Trigo para 30 Tigres Tristes, uma das músicas mais legais da banda e, aparentemente, uma das mais conhecidas - e berradas - pelo público. O público, pelo menos quem estava mais próximo ao palco, onde eu estava, cantou praticamente todas as músicas do início ao fim. Outro bom momento foi a participação do ex-baterista Uirá, que tocou duas músicas, a alucinada Deuses e Demônios e o rapmetal A Praia, liberando Tomás para dividir os vocais e fazer um dueto de flauta doce com Danton. Para fechar o show, os 10 minutos da apoteótica Fantasia em Lá Menor (onde mais eu veria um baixista tocando triângulo para logo depois emendar uma sequência prog metal junto com a banda?), fechando com um longo trecho instrumental. O show termina com banda e público esgotados após mais de 2 horas de música instigante, imprevisível e inquieta.

Bom, e a parte negativa? Sinto muito, mas não encontrei. Da minha parte, que moro a 300 km do local do show, valeu e muito cada uma das quase 11 horas dentro do ônibus, entre ida e volta. Agora, é esperar pela publicação dos vídeos no YouTube mais perto de você.

E como sempre no blog, a utilidade pública: todas as músicas da banda podem ser baixadas no site da própria banda, aqui.

5 comentários:

Anônimo disse...

Oi Rodrigo, aqui quem fala é o tomás, tudo certo?
queria dizer em nome de todos que já havia sido uma honra imensa ter a tua presença lá na sexta, sabendo da "pequena viagem" necessária para tanto! Agora só podemos te agradecer mais ainda pelo texto tão generoso e caloroso que você escreveu

Muito especial mesmo, sem palavras!

Muito obrigado pela presença e pelo escrito!

É algo que guardaremos sempre

Um abração e seguimos em contato!

Rodrigo Manhães disse...

Olá Tomás, eu é que agradeço a visita. Há muito tempo eu não assistia a um show tão legal! Que vocês continuem no front por muito e muito tempo, a música brasileira agradece. Grande abraço!!

Raphael disse...

O maior espetáculo da terra é o rock in Rio Itaperuna, só acontece 1 vez por ano, e reune os maiores músicos que já toquei :D

Destruidores de Tóquio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alex Lima disse...

Fala Rodrigo, me chamo Alex Lima, sou Baixista e vocalista da banda paraense Destruidores de Tóquio, gostei muito desta resenha, em Outubro a Destruidores de Tóquio irá se apresentar na Áudio Rebel, gostaríamos que você fosse ao nosso show, se não gostar do show não tem problema se você escrever uma resenha falando que não gostou haha.
confira nosso trabalho em www.myspace.com/destruidoresdetoquio
Abraços.